quinta-feira, 7 de agosto de 2014

GLOBO PEDE ARREGO

Foto: Rede Globo
A Rede Globo convocou os presidentes dos clubes que disputam a série “A” do campeonato brasileiro, para uma reunião extraordinária. Vai informar que a audiência dos jogos despencou e algo tem que ser feito. A Globo detém os direitos de transmissão de todos os campeonatos importantes e ameaça deixar os clubes na mão. Ou tornam a competição mais atrativa para o torcedor ou não tem mais dinheiro. Na verdade, o modelo implantado não vingou. Com autonomia para elaborar a tabela de jogos de acordo com os seus próprios interesses, a Globo passou a obrigar os clubes a jogarem em dias e horários absurdos. Qual torcedor pode ir para o estádio, ver terminar o jogo meia-noite e ir trabalhar no dia seguinte. O raciocínio é mais ou menos o seguinte: cada torcedor no estádio, é um telespectador a menos na telinha. Rodadas “cheias” compreendem dez jogos no mesmo dia. Se tivermos 50.000 torcedores em cada um dos dez estádios, serão 500.000 telespectadores a menos para a sua televisão. Melhor marcar jogos nesses horários inviáveis, para forçar o torcedor a ficar em casa vendo os anúncios. Só que o torcedor, quando deixa de ir aos estádios, aos poucos vai deixando de lado o futebol e partindo para outro tipo de diversão. Nem vai ao estádio nem tampouco vê na televisão. Os índices despencaram e agora vão ter que desatar o nó. Há um outro viés que deve ser analisado. Como os privilegiados Flamengo e Corinthians recebem cotas diferenciadas, a Globo se vê no direito de transmitir quase todos os jogos destes dois clubes. As repetidoras da emissora são obrigadas a mostrar os jogos dos dois clubes em detrimento dos clubes locais. Coloca o clube para jogar em horários impróprios e não dá opção para o torcedor. Por que o torcedor do CEARÁ e do FORTALEZA (por exemplo) tem que ver jogo de Flamengo e Corinthians. Não vê. O reflexo está nos pífios índices de audiência. Já que a vaca está indo para o brejo, vai cobrar solução dos clubes. A falência deste modelo foi prevista por nós a muito tempo. Como os grandes clubes recebe cotas mais gordas, certamente vão sentir mais o impacto que os pequenos clubes nordestinos. Enquanto o Flamengo e o Corinthians recebem R$ 12.000.000,00 (doze milhões de reais) por mês, pelo direito de transmissão da Globo, os clubes da série “B” recebem R$ 300.000,00 (trezentos mil reais). Política desigual tende a gerar monstros que mais cedo ou mais tarde, costumam mostrar suas afiadas garra

1 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por fazer um comentário, em breve estaremos analisando e liberando sua postagem. Edmilson Maciel