terça-feira, 19 de agosto de 2014

GREVE NO FUTEBOL ENTRA NA MODA

Foto: Net
É a vez dos atletas do ICASA, um dos representantes cearenses na série "B" do campeonato brasileiro, decidirem pelo caminho da greve, por salários atrasados. BOTAFOGO/RJ, (ficou no protesto explícito) GRÊMIO BARUERI/SP  e agora é a vez do clube cearense. Sem responsabilidades pelos custos elevados com contratações que muitas vezes não dão certo no time, os dirigentes vão assumindo os clubes brasileiros, muitos deles, usufruindo do prestígio momentâneo e se aventurando em mandatos políticos, e o rastro negativo sendo deixado para trás. Nos últimos dias, tem-se falado em lei que regule esta situação. Seria a edição da LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL NO ESPORTE. Interessante regulamentação para administrar o fato, porém, está longe de resolver os problemas de muitos dos clubes que já penam por delírios administrativos de dirigentes que por eles passaram. O buraco negro já está estabelecido na maioria dos clubes do país e, só a instituição da lei não será suficiente. Temo que, muitos dessas clubes, hoje bastante representativos no esporte preferido do nosso povo, simplesmente desapareçam, em curto espaço de tempo. Administrar orçamento deficitário gera sempre uma "bola de neve" que, mais cedo ou mais tarde, vai explodir. Quem tem créditos quer recebê-los. Vai pela via judicial e, embora demande muito tempo, um dia consegue. Aí, quando chegar o momento de quitar a dívida, sem um "MECENAS" como em tempos outros, fechar as portas pode ser a única saída. A sequência de fatos envolvendo nossos clubes, pode se multiplicar e afetar sobremaneira o campeonato brasileiro. No caso do ICASA/CE, o fato acontece pelas quotas de TV que estão bloqueadas pela via judicial, para pagamento de um antigo investidor do clube, que aplicou recursos próprios e agora quer ser ressarcido. Parece justo, porém, o prejuízo há de ficar com o clube. O ICASA recebe o VASCO DA GAMA no Estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte/CE no sábado, (23/08/2014) e a expectativa de boa arrecadação que fazia parte das previsões de receitas do clube, pode ser frustrada pela possível greve dos seus jogadores. O "VERDÃO" como é conhecido no estado do Ceará, ocupa a 15ª posição e está a dois pontos da zona de rebaixamento. Resta aos dirigentes, no momento, tentar um acordo com o antigo investidor no sentido de liberar o bloqueio das receitas e rezar para que um milagre aconteça e no futuro não tenham que enfrentar problemas graves como este para a vida do clube. O futebol é, atualmente, na maioria dos países, um grande e rentável negócio. Quem tem capacidade de gestão, se estabelece. E poucos clubes demonstram isso atualmente. Para os incautos, as consequência tardam, mas, não faltam! 

1 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por fazer um comentário, em breve estaremos analisando e liberando sua postagem. Edmilson Maciel