quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

SOBRE GILMAR DAL POZZO


Após mais uma decepção do Ceará, que foi eliminado já na primeira fase da Copa do Brasil, o foco passou a ser Gilmar Dal Pozzo. Uma intensa pressão se abate sobre o técnico alvinegro, cobrando a sua saída. Um rápido levantamento sobre a sua atividade à frente do comando técnico alvinegro, nos mostra alguns fatos que passo a citar.

Ao todo, já foram 9 jogos sob o seu comando, sendo 7 pelo Campeonato Cearense, 1 pela Copa Primeira Liga e 1 pela Copa do Brasil. No geral, foram 6 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. Friamente, poderíamos dizer se tratar de boa campanha, afinal, dos 27 pontos disputados, ganhou 22, um índice de 70 % de aproveitamento. Se levarmos em consideração que as duas derrotas foram provocadas diretamente por arbitragens maliciosas, tanto no clássico contra o Fortaleza, como no jogo da Copa do Brasil, na derrota para o Boa Vista, e o único empate foi jogando com o time reserva, contra o Itapipoca, fica a idéia de um grande trabalho do técnico. 
Acontece, porém, que uma série de erros básicos e até primários, comprometem a sua atuação como técnico. Vou relembrar só uns poucos, dos tandos que marcaram a minha desconfiança no seu trabalho.
Gilmar Dal Pozzo - Foto Ceará SC

Logo no início das atividades, Dal Pozzo barrou Tiago Cametá, um dos melhores laterais do nordeste brasileiro, colocando em seu lugar, o limitadíssimo Everton Silva. Quem observar os dois atuando, vai ver a barbaridade dessa atitude.
Na partida contra o Boa Vista, quando precisava conter o ímpeto do adversário, que partia desesperado em busca da vitória, retirou Alex Amado e colocou um garoto da base, que poucas vezes atuou no time de cima, tendo no banco o meia Maxi Biancucci que bem experiente, poderia ser muito mais útil. De quebra, retirou Magno alves para colocar um zagueiro, trazendo para o seu campo, o adversário, que com a saída do Magnata, percebeu que não precisava se resguardar e partiu para cima, conseguindo o gol, embora em pênalti irregular. 
Se formos recordar o seu histórico nesse um mês e meio à frente do comando técnico do time, vamos observar uma série de fatos que parecem irrelevantes, mas que, no entanto, no seu bojo, trazem uma imagem comprometedora, pela sequência de atitudes erradas. Foram várias substituiçoes confusas, que findaram comprometendo um trabalho, tornando-o ineficiente.  

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por fazer um comentário, em breve estaremos analisando e liberando sua postagem. Edmilson Maciel