segunda-feira, 29 de maio de 2017

GLOBO NÃO É MAIS DONA DA SELEÇÃO BRASILEIRA


Desde a época da ditadura militar no Brasil, a Globo vinha sendo praticamente a dona da Seleção Brasileira de Futebol. Todos os jogos, oficiais ou amistosos, eram exclusividade da emissora da família Marinho, e ela que ditava os horários. O poder sobre a seleção era tão grande, que nos preparativos para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, o técnico Felipão teve que interromper um treinamento, para que um jogador fosse entrevistado  em um programa ao vivo da emissora, às 11h00 da manhã. 
A partir de agora, muda tudo. Já nos próximos amistosos que a seleção fará na Austrália em junho, contra Argentina e Austrália, a CBF estará fazendo a transmissão por uma emissora contratada. O presidente Marco Polo Del Nero comprou  os horários da TV Brasil e está montando uma equipe com 50 profissionais para transmitir os próximos amistosos até a Copa do Mundo, e a principal estrela, será o Rei Pelé, já contratado como comentarista.
Foto: NET
O império da família Marinho, que foi capaz de derrubar até presidente da república, parece estar ruindo. 
A experiência recente feita pelos paranaenses Atlético e Coritiba, que não aceitaram as cotas da Globo para as transmissões do Campeonato Paranaense de 2017, mostrou que, sem a Globo os clubes podem ganhar muito mais. Os três jogos feitos entre Atlético e Coritiba, renderam a cada clube, mais do dobro que a Globo queria lhes pagar. Só com anúncios pelas transmissões das duas partidas finais do estadual pelo Facebook, os dois clubes faturaram o que a Globo queria lhes pagar pelo direito em TV aberta. Sem transmissão em TV aberta, as rendas foram bem maiores, gerando lucros para os cofres dos clubes. 
Os dois primeiros amistosos da seleção sem a Globo, serão realizados às 19:00 horas, evitando-se os horários de jogos após as novelas globais. Toda esta confusão foi gerada por uma espécie de edital lido por Galvão Bueno, no Jornal Nacional do dia 13 de junho de 2016, após a prisão de José Maria Marim, então presidente da CBF a quem Marco Polo Del Nero sucedeu.
O Jornal Folha de São Paulo, teve acesso a tudo, e reproduziu inclusive o texto lido pelo narrador titular da Globo, que feriu porofundamente Del Nero, que, segundo os seus amigos, é altamente vingativo.

O texto lido por Galvao Bueno em 13/06/2016:

"A crise atual é uma herança maldita de presidentes presos, indiciados ou investigados pela justiça e um deles permanece no poder. Será que, em um momento tão crítico, Marco Polo Del Nero tem condições morais para decidir o futuro da Seleção Brasileira? "E é sempre bom lembrar que a Seleção pertence ao torcedor ao povo. Ela não pertence a nenhum dirigente e, principalmente, aqueles que trabalharam à margem da lei.
Fonte: Folha de São Paulo.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por fazer um comentário, em breve estaremos analisando e liberando sua postagem. Edmilson Maciel